top of page
  • Foto do escritorProtocolo 5R

Disbiose intestinal e emagrecimento: há uma relação?


A microbiota intestinal, população complexa e dinâmica de microrganismos que ocupa o trato gastrointestinal (TGI), exerce uma enorme influência nos processos de saúde e doença do seu hospedeiro. Como o lúmen intestinal representa o local no qual se concentram a maior parte das bactérias presentes em todo o corpo humano, o organismo lança mão de diferentes mecanismos que permitem uma relação simbiótica e mutualista, com esse ecossistema bacteriano. O equilíbrio (eubiose) da microbiota depende de inúmeros fatores, sendo a dieta um dos mais importantes. Em contrapartida, alguns hábitos como o uso indiscriminado de antibióticos, uso excessivo de álcool e cigarro, laxante, estresse, dieta, baseadas em alimentos industrializados ou ricas em gorduras, podem causar uma modificação/desequilíbrio (disbiose) das populações da microbiota.

Tendo em vista que a microbiota contribui para a fisiologia corporal por diferentes aspectos e vias, entende-se que quaisquer alterações no padrão de microrganismos gera malefícios. A disbiose está associada não somente a alterações imunes, mas também com modificações na barreira intestinal, surgimento de doenças inflamatórias, síndrome metabólica e obesidade. Ademais, observa-se que o desenvolvimento da obesidade, o processo de emagrecimento e as doenças metabólicas, assim como a microbiota, sofrem imensa influência externa e interna. Por meio da diferenciações na microbiota intestinal, podem ocorrer variações na obtenção de energia dos alimentos, no metabolismo lipídico e até mesmo na resposta imune, o que consequentemente gera padrões fenotípicos diferentes entre os indivíduos.

Perda de peso e a influência da microbiota

A disbiose apresenta inúmeros fatores causais que favorecem o surgimento do seu desequilíbrio, o que resulta em distúrbios metabólicos, doenças autoimunes, neurológicas e inflamatórias. Atualmente, sabe-se que há uma estreita relação entre desequilíbrio da microbiota e alteração de peso, isso porque a microbiota possui característica altamente complexa, na qual os microrganismos recebem influência não só da quantidade, mas sim da qualidade dos nutrientes extraídos da dieta. Dessa maneira, o padrão dietético possui implicações diretas sobre a manutenção de peso ou sobre o desenvolvimento de patologias, como a obesidade.

Hoje, a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública mundial. Justamente por isso, diversos campos de pesquisas buscam reconhecer e compreender melhor acerca da ação da microbiota, seus efeitos e suas influências no organismo. Essa busca demonstra que a disbiose pode estar relativamente ligada a obesidade, já que o predomínio de bactérias patogênicas sobre bactérias benéficas, acaba por alterar a absorção de nutrientes no intestino. A mudança fisiológica observada devido a disbiose, tal como qualquer outra patologia multifatorial, apresenta características únicas em cada indivíduo. No entanto, algumas características gerais como a relação entre disbiose e facilidade de ganho de peso, e do aumento de gordura corporal já são bem elucidadas.

Dessa forma, a disbiose apresenta-se como um fator importante para a obesidade. A modulação do microbioma intestinal através da alimentação individualizada é essencial para tratamentos que buscam o emagrecimento, pois como é visto em dados atuais, as intervenções dietéticas, incluindo a administração de pré e probióticos, possui capacidade de prevenir doenças crônicas, além de auxiliar em um tratamento que esteja em curso. Portanto, uma microbiota equilibrada é peça fundamental para a manutenção da integridade da função fisiológica normal humana.


---


Artigos relacionados

Entenda melhor sobre o tema:



Referências bibliográficas

SALOMÃO, Joab Oliveira; CABRAL, Ian Dimas; ALMADA, Maria Olímpia Ribeiro do Vale; ALMADA, Maria Olímpia Ribeiro do Vale; MATOS, Geilton Xavier de; SILVA, Monise Martins da; NASCIMENTO, Paulo Loivo do; ACOSTA, Rene Jesus de La Torre. Implicações da microbiota intestinal humana no processo de obesidade e emagrecimento: revisão sistemática/implications of the human gut microbiota in obesity and weight loss. Brazilian Journal Of Health Review, [S.L.], v. 3, n. 5, p. 15215-15229, 2020. Brazilian Journal of Health Review. http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv3n5-301.


GANDRA, Ana Luiza; FLAUSINO, Bruna Gonçalves; MARTINS, Bárbara Xavier Barbosa; SOUSA, Débora Cristina Rodrigues; DOLABELA, Dóris Cristina Freitas; DUARTE, Elaine Miranda Padilha; LOURENÇO, Lhorena Paula da Silva; RIBEIRO, Shênia Miranda; OLIVEIRA, Mirian Cristina de. IMPORTÂNCIA DA MICROBIOTA INTESTINAL E SUA MODULAÇÃO PARA O EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, [S.L.], v. 7, n. 8, p. 523-532, 31 ago. 2021. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciencias e Educacao. http://dx.doi.org/10.51891/rease.v7i8.1981.

467 visualizações

Comments


bottom of page