top of page

Epigenética na Saúde da Mulher: Qual o impacto?

A mulher contemporânea, motivadas por vários sonhos, vem conquistando vitórias diariamente, como trabalhar, cuidar da casa, emagrecer, fertilidade, casamento, empreender, não ter TPM, dinheiro, tempo para autocuidado e a tão sonhada maternidade! Entretanto, qual o impacto que a alimentação e o ambiente têm na saúde mulher?

A resposta para isso é a frase “você é o que você come”, mas além disso, você é o que sua mãe e sua avó comeram. Esse fenômeno é chamado de programação metabólica. Visto que, a epigenética está presente em todas as fases da vida da mulher: puberdade e adolescência, pré-concepção, gestação e amamentação/pós-parto.

Muitas meninas, atualmente, estão chegando à puberdade precocemente, devido ao aumento da industrialização, aumento de peso excessivo, uso de cosméticos, excesso de telas, heranças epigenéticas e doenças raras.

Sendo que o gene candidato para desenvolvimento da puberdade precoce é o kisspeptina, que estimula o aumento de gordura corporal. Mas também, os genes MKRN3 (makorin dedo anelar 3) e DLK1 (delta-like 1 homologo), responsáveis pela repressão e ativação do desenvolvimento puberal.

Durante a pandemia, o número de meninas com puberdade precoce aumentou muito em comparação com 2018, 2019 e 2020. Isso ocorreu devido à menor prática de atividade física, maior índice de massa corporal, deficiência de vitamina D, consumo de frituras e alimentos processados e exposição a pesticidas.



Table of ContentsToggle

Recomendações para Saúde da Mulher

  1. Encontros semanais com atividades de educação alimentar e nutricional

  2. Mudança na rotina e plano alimentar

  3. Higiene do sono

  4. Diminuir o tempo de telas

  5. Exposição solar

  6. Prática de atividades físicas

  7. Aumento no consumo de frutas e verduras orgânicas

  8. Evitar alimentos industrializados

  9. Exposição solar

  10. Suplementação de vitamina D (dose conforme a idade)

  11. Distribuição da alimentação durante o dia

Na adolescência, tudo vira de ponta-cabeça e a pergunta que não se cala na cabeça dessa menina é “E agora? Sou menina ou mulher?”. Este momento de vulnerabilidade e incerteza é propício para gerar crises, ansiedade e compulsão. O aumento do consumo alimentar de carboidratos e gorduras pode levar a complicações sérias, dentre elas a síndrome do ovário policístico (SOP) e obesidade.

Suplementação para Saúde da Mulher

  1. 400 mg de ácido alfa-lipóico na SOP

  2. 1000 mg de mio-inositol na SOP

  3. 2 a 4000 UI de vitamina D na TPM

  4. 30 mg de zinco na TPM

  5. Chá verde, resveratrol, magnésio e cálcio para TPM

Como ficam as marcações epigenéticas desta mulher no período pré-concepcional?

O gene Kisspeptina está associado à liberação de hormônios sexuais e mutações neste gene podem levar à infertilidade. Além disso, a inflamação de baixo grau impacta de forma direta e indireta na fertilidade feminina, isso porque mulheres que vivem em ambientes estressantes apresentam menor excreção de vitamina D, que é um antioxidante importante para a fertilidade e reprodução.

Entre os nutrientes mais importantes para esta fase estão o ômega 3, vitamina B9, vitamina B12, vitamina D, vitamina E, ferro, zinco e cálcio.

O que orientar?

  1. Ajuste alimentar e ambiental

  2. Entender o ciclo menstrual da sua paciente

  3. Avaliar os parâmetros genéticos e bioquímicos

  4. Avaliar os hábitos de vida do casal

  5. Oferta adequada de nutrientes através dos alimentos

  6. Suplementação conforme necessário

A gestação é um momento único na vida da mulher, entretanto, envolve mudanças hormonais, fisiológicas e bioquímicas que podem impactar o resto de sua vida, e fatores como alimentação, obesidade, sono e exercício irão afetar e influenciar no desenvolvimento do bebê, impactando desde o crescimento até o desenvolvimento cognitivo, sistema endócrino, metabolismo de macronutrientes, formação de músculo e tecido adiposo. Sendo a placenta o órgão que realiza essa ligação mãe e feto, de caráter endócrino e produtor de proteínas metabólicas que têm influência significativa no estabelecimento e manutenção de uma gravidez saudável.

Entre os nutrientes mais importantes para esta fase estão ômega 3, vitamina A, vitamina C, vitamina K2, vitamina E, colina, zinco e cálcio.

O que orientar no período pré-concepcional?

  1. Sobre o impacto da nutrição no desenvolvimento do bebê

  2. Lembrar da regulação genética da placenta e sua influência por fatores genéticos e ambientais

  3. Pontuar sobre a obesidade materna, alteração de hormônios, alteração no metabolismo de lipídeos, glicose, alteração de metabólitos e micronutrientes que podem gerar sinais celulares, alterando a programação metabólica, gerando modificações epigenéticas

O momento pós-parto é muito delicado e, por isso, muitas vezes as mulheres deixam de lado a importância de uma boa alimentação, mas é neste momento que se deve garantir todos os nutrientes para a mãe promover uma amamentação exclusiva e uma boa recuperação pós-parto. Lembrando que não é hora de fazer restrições alimentares pensando no retorno do peso e a importância da hidratação.

O leite humano representa um elo entre a saúde materna e do bebê. A tríade mãe-leite-bebê é um sistema interconectado no qual a dieta materna e o estilo de vida podem ter efeitos sobre a saúde do bebê. Isso é um exemplo claro do funcionamento da epigenética.

Lembre-se de:

  1. Garantir oferta de todos os nutrientes, assim como na gestação.

  2. Olhar o entorno dessa mãe: estresse, ansiedade, sono e depressão.

  3. Incentivar sobre os benefícios da amamentação para mãe-bebê.

  4. Saúde intestinal.

  5. Vitamina D, ômega 3, vitamina C, ferro e complexo B.

  6. Exterogestação.

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível. São Francisco de Assis.

Estude mais!

Assista ao vídeo na plataforma Science Play: Saúde da Mulher e Nutrição

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page