top of page
  • Foto do escritorKcal

Extrato de chá-verde possui ação antioxidante?

O extrato de chá-verde e sua ação antioxidante: Protegendo o corpo do estresse oxidativo





Em uma busca constante por formas naturais de promover a saúde, o extrato de chá verde tem ganhado destaque. Além de ser apreciado por seu sabor e aroma característicos, esse extrato tem sido objeto de estudo, devido às suas propriedades antioxidantes. Hoje, exploraremos o papel dos antioxidantes no corpo, com foco no estresse oxidativo e examinaremos como o extrato de chá-verde pode contribuir para combater esse processo.


O que são antioxidantes e seu papel no corpo:

Antioxidantes são substâncias capazes de neutralizar os radicais livres, compostos instáveis que podem danificar as células e o DNA do nosso corpo (Halliwell, 2016). Esses radicais livres são produzidos naturalmente durante o metabolismo celular e também podem ser gerados em resposta a fatores externos, como poluentes ambientais, tabagismo e estresse. O acúmulo excessivo de radicais livres resulta no estresse oxidativo, um desequilíbrio entre a produção e a neutralização desses compostos nocivos (Pham-Huy et al., 2008).


O estresse oxidativo e seus efeitos no organismo:

O estresse oxidativo tem sido associado a uma série de condições de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, câncer, doenças neurodegenerativas e envelhecimento precoce (Sies, 2015). Quando os radicais livres não são neutralizados adequadamente pelo sistema antioxidante do organismo, eles podem causar danos às células e contribuir para o desenvolvimento dessas doenças. Além disso, o estresse oxidativo também pode desencadear processos inflamatórios e afetar o equilíbrio hormonal do corpo (Sies, 2017).


O extrato de chá-verde como fonte de antioxidantes:

O chá-verde, originário das folhas da planta Camellia sinensis, tem sido amplamente estudado por seus benefícios à saúde, devido à sua alta concentração de compostos bioativos, incluindo polifenóis (Cabrera et al., 2006). Entre esses polifenóis, destacam-se as catequinas, como a epigalocatequina galato (EGCG), conhecida por suas propriedades antioxidantes (Borges et al., 2013). Estudos têm demonstrado que o extrato de chá verde rico em EGCG, pode auxiliar na proteção contra o estresse oxidativo e seus efeitos prejudiciais (Mancini et al., 2017).


A ação do extrato de chá-verde no combate ao estresse oxidativo:

A atividade antioxidante do extrato de chá-verde pode ser atribuída à capacidade das catequinas de neutralizar os radicais livres e reduzir o estresse oxidativo (Cabrera et al., 2006). Além disso, estudos têm mostrado que o chá-verde pode modular a expressão de genes envolvidos na resposta antioxidante do organismo, estimulando a produção de enzimas antioxidantes endógenas (Borges et al., 2013). Essas propriedades podem contribuir para a proteção celular e redução dos danos causados pelo estresse oxidativo.

Além disso, o extrato de chá-verde também pode ter efeitos benéficos na saúde cardiovascular. Pesquisas indicam que o consumo regular de chá-verde está associado a uma redução do risco de doenças cardíacas, como aterosclerose e hipertensão (Shen et al., 2013). Esses efeitos podem ser atribuídos às propriedades antioxidantes do chá-verde, que ajudam a diminuir a oxidação do colesterol LDL (o "mau" colesterol) e a inflamação nos vasos sanguíneos.

Quanto à forma de consumo, o chá-verde pode ser apreciado tanto em forma de infusão, preparado com as folhas secas, quanto em forma de extrato concentrado. O extrato de chá-verde, disponível em forma de suplemento, é uma opção conveniente para aqueles que desejam aumentar a ingestão de antioxidantes de maneira prática.

Em conclusão, o estresse oxidativo desempenha um papel significativo no desenvolvimento de diversas doenças e no envelhecimento precoce. Os antioxidantes desempenham um papel crucial na proteção contra o estresse oxidativo, neutralizando os radicais livres e reduzindo os danos às células. Nesse contexto, o extrato de chá-verde, rico em catequinas antioxidantes, pode ser uma opção promissora para combater o estresse oxidativo e promover a saúde. No entanto, é importante lembrar que uma abordagem equilibrada, que inclua hábitos saudáveis, como uma alimentação balanceada, prática regular de exercícios e acompanhamento profissional, é fundamental para uma saúde ótima.



➤ Referências Bibliográficas:

Borges, G., et al. (2013). Green tea: A potential alternative anti-inflammatory agent for oral health. Molecules, 18(9), 10773-10783.

Cabrera, C., et al. (2006). Beneficial effects of green tea—a review. Journal of the American College of Nutrition, 25(2), 79-99.

Halliwell, B. (2016). The antioxidant paradox: less paradoxical now? British Journal of Clinical Pharmacology, 84(4), 657-665.

Mancini, E., et al. (2017). Bioavailability and antioxidant activity of tea: The green gold. In Vivo, 31(5), 881-887.

Pham-Huy, L. A., et al. (2008). Free radicals, antioxidants in disease and health. International Journal of Biomedical Science, 4(2), 89


12 visualizações

Comments


bottom of page