top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Ganho de Peso em Universitários

Universitários tendem a ganhar peso? A resposta é sim. Cursar uma graduação é o sonho de muitos indivíduos. Porém, neste período manter hábitos saudáveis é um desafio, principalmente para mulheres que escolhem a área da saúde, a exemplo da faculdade de nutrição.  Por diversos motivos associados, o ambiente universitário torna-se estressante por possuir muitas demandas. Qual seria o motivo da tão sonhada faculdade aumentar o peso corporal? É o que abordaremos aqui. Leia para saber mais. 



Table of ContentsToggle

Hábitos alimentares dos universitários 

Uma ingestão alimentar adequada e saudável durante a vida é capaz de minimizar e prevenir o acometimento por doenças crônicas, além de melhorar o bem estar físico como um todo. Durante a graduação, a ingestão dietética é drasticamente modificada, em que ocorre uma redução no consumo de frutas  e verduras, que normalmente já não atende às recomendações de ingestão diária. 

Apoiando tal dado, uma pesquisa feita pelo American College Health Association-National College Health Assessment  relatou que apenas 5,3% dessa população ingere as quantidades ideais de frutas e verduras durante o dia.  Além do consumo inadequado, dados apontam que o nível de atividade física na transição entre nível fundamental e superior é bastante reduzido, sendo que, apenas 19,5% dos universitários praticam alguma atividade física 5 ou mais vezes na semana. 

O risco de ganho de peso para o sexo feminino

Nesta população, o impacto no aumento de peso corporal é ampliado, apenas no primeiro ano de faculdade o aumento no peso é em média de  3,5 Kg, podendo chegar até 9 Kg em média nos 2 primeiros anos. Fato que gera na população feminina menor autoestima, preocupação tanto na forma, quanto no tamanho do corpo, além da comparação patológica à estereótipos. 

Apesar de as graduandas de nutrição apresentarem conhecimento sobre os alimentos e as vias fisiológicas de sua utilização, estas possuem comportamentos alimentares disfuncionais, apresentam uma preocupação no controle do peso e cerca de 53%  das especialistas em nutrição  norte-americanas tentaram perder peso. 

Prática Clínica

O consumo de alimentos altamente industrializados, ricos em calorias, sódio e gordura é comum nesta população, o que associado a inatividade física corrobora e o ambiente cada vez mais estressante  aumento do peso. Logo, fazer faculdade pode influenciar negativamente e aumentar o peso. Dessa forma, ações de educação alimentar e nutricional voltadas especificamente para essa população devem ser adotadas e implantadas para que haja o controle nos níveis de sobrepeso e obesidade, além do incentivo a comportamentos alimentares mais saudáveis. 

Referências Bibliográficas

Artigo: Formação em nutrição influencia o IMC de universitárias Hong, M., Shepanski, T., & Gaylis, J. (2016). A formação em nutrição influencia o IMC de universitárias. Journal of Nutritional Science, 5 , E8. doi:10.1017/jns.2015.24

Classifique esse post

0 visualização

Comments


bottom of page