top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Glutamina e Síndrome do Intestino Irritável

A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio gastrointestinal (GI) caracterizado por hábitos intestinais alterados em associação com desconforto abdominal ou dor na ausência de anormalidades estruturais. Alguns fatores que podem acarretar essa fisiopatologia, são eles a intolerância alimentar, a alternância na microbiota intestinal e o aumento da permeabilidade intestinal. Mas será que a a glutamina influencia a síndrome do intestino irritável e seu tratamento?

A intervenção nutricional usada para tratar o SII é a dieta baixa em  FODMAPS, porque essa dieta é pobre em oligossacarídeos fermentáveis, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis. Além da dieta baixa em FODMAPS, a glutamina foi evidenciada como um potencial tratamento dessa fisiopatologia.



Table of ContentsToggle

Funções da Glutamina

A glutamina é o aminoácido mais abundante do corpo e desempenha diversas funções biológicas, como proliferação celular, produção de energia, glicogênese, tamponamento de amônia, manutenção do equilíbrio ácido-base, modulação do sistema imune e entre outras.

Além das funções citadas acima, a glutamina desempenha algumas funções no intestino, como ser a fonte energética para renovação rápida dos enterócitos e linfócitos, promove a proliferação de enterócitos, regula as proteínas de junções estreitas e suprime as vias de sinalização pró-inflamatórias. Com isso, é prudente teorizar um papel da glutamina na síndrome do intestino irritável.

Influência da Glutamina na Síndrome do Intestino Irritável?

Tendo isso em vista, um ensaio clínico randomizado, duplo cego e controlado, intitulado “Glutamine Supplementation Enhances the Effects of a Low FODMAP Diet in Irritable Bowel Syndrome Management’’, investigou se a suplementação de glutamina poderia ser eficiente no tratamento da síndrome do intestino irritável.

O estudo teve 50 participantes com duração de seis semanas, visando averiguar se a suplementação de glutamina aliada com uma dieta baixa em FODMAP tinha capacidade atenuar os sintomas gastrointestinais, melhorar a qualidade de vida, auxiliar na melhora da frequência (evacuações por dia) e consistência das fezes de indivíduos com a  síndrome do intestino irritável. Os participantes foram alocados em dois grupos: placebo (whey protein com água) e glutamina (15 g/dia). Além disso, ambos os grupos consumiram uma dieta baixa em FODMAP.

O artigo trouxe que o grupo glutamina conseguiu atenuar os sintomas gastrointestinais em 80%, já o grupo placebo atenuou em 66%. Além disso, tanto a frequência de evacuação quanto a consistência das fezes melhoraram de forma significativa.  Em relação à qualidade de vida, não houve alterações significativas entre os grupos.

Prática Clínica 

O resultado do estudo demonstrou um potencial efeito da glutamina no tratamento SII. Contudo, as evidências sobre o assunto ainda são escassas, sendo necessário mais artigos para realmente compreender o efeito da glutamina na síndrome do intestino irritável.

Ademais , a glutamina tem potencial de melhorar a condição de pacientes com SII, regulando a permeabilidade intestinal via aumento da expressão de proteínas de junção apertada, modulando a resposta inflamatória, estresse oxidativo ou resposta imune inata, e também alterando a microbiota intestinal.

Referências:

Artigo: RASTGOO, Samira et al. Glutamine supplementation enhances the effects of a low FODMAP diet in irritable bowel syndrome management. Frontiers in Nutrition, p. 1079, 2021 doi: https://doi.org/10.3389/fnut.2021.746703

Classifique esse post

8 visualizações

Comments


bottom of page