top of page

Menopausa: Suplementos Auxiliam na Melhora?

A menopausa é uma fase natural na vida das mulheres, caracterizada pela diminuição dos hormônios sexuais femininos, principalmente o estrogênio. Esse processo pode causar diversos sintomas incômodos, como ondas de calor, sudorese noturna, irritabilidade, ansiedade, depressão, insônia, diminuição da libido, ressecamento vaginal e problemas urinários.


Para aliviar esses sintomas e melhorar a qualidade de vida durante a menopausa, muitas mulheres recorrem aos suplementos alimentares. Esses produtos são compostos por vitaminas, minerais, fitoestrógenos e outros nutrientes que podem ajudar a equilibrar os níveis hormonais, melhorar a saúde óssea, prevenir doenças cardiovasculares e reduzir a intensidade dos sintomas da menopausa.


Aproximadamente dois terços das mulheres na perimenopausa desenvolvem sintomas relacionados à transição menopausal. Destas, apenas 10-25% das mulheres procuram tratamento tradicional e muitas frequentemente resistem ou ficam insatisfeitas com os tratamentos médicos convencionais. Embora a terapia hormonal ainda seja considerada a primeira linha de tratamento para sintomas vasomotores, dados os resultados publicados no Women’s Health, muitas mulheres relutam em usar hormônios exógenos e estão se voltando para botânicos e produtos de suplementos dietéticos para alívio dos sintomas. 

Neste texto, vamos explorar alguns dos suplementos populares para auxiliar nos sintomas da menopausa e entender como eles podem ajudar as mulheres nessa fase da vida.



Table of Contents


Soja/Isoflavonas


Os alimentos e suplementos à base de soja têm sido objeto de muito interesse para a redução de sintomas da menopausa por causa de suas altas concentrações de fitoestrógenos (formononetina, biochanina A, daidzeína e genisteína). Os fitoestrógenos encontrados na soja/isoflavonas possuem propriedades estrogênicas, embora o mecanismo de ação não seja totalmente compreendido. 


A notícia mais promissora para a soja pode ser seu efeito positivo nos perfis lipídicos. Uma metanálise de 38 estudos em humanos sobre o consumo de soja fornecem evidências convincentes para seu efeito positivo em perfis lipídicos, incluindo redução de lipídios de baixa densidade (LDL) e triglicerídeos e um aumento nos níveis de lipídios de alta densidade (HDL).


Trevo vermelho (Trifolium pretense)


O trevo vermelho e a soja compartilham perfis químicos semelhantes, ambos contêm genisteína, daidzeína, formononetina e biochanina A, mas o trevo vermelho tem significativamente níveis mais elevados de isoflavonas. São estes componentes isoflavonoides e coumestanos considerados responsáveis por efeitos semelhantes aos do estrogênio. O uso do trevo vermelho para sintomas da menopausa é bastante recente e semelhante aos produtos de soja, a maioria dos estudos mostram um efeito mínimo para alívio de ondas de calor. No entanto, pode ser relevante como um tratamento preventivo para a osteoporose, melhora nos perfis lipídicos e possivelmente cognição. 


Black Cohosh (Cimicifuga racemosa)


A Black cohosh é uma planta perene nativa da América do Norte que tem sido tradicionalmente usada principalmente por índios americanos para uma variedade de “queixas femininas” . Ao lado da soja, o cohosh preto é o botânico mais amplamente estudado para sintomas da menopausa. Ela contém glicosídeos triterpínicos, flavonóides, ácidos aromáticos e vários outros constituintes, mas o mecanismo exato de ação deste botânico ainda não foi claramente entendido. Dados recentes da Institute of Health Center for Botanicals Dietary Supplements Research in Women’s Health demonstra que o black cohosh não possui um mecanismo de ação estrogênico, mas sim atua nos receptores de serotonina e pode aliviar as ondas de calor e melhorar o humor por meio de um efeito serotoninérgico. 


Óleo de prímula


O óleo de prímula é comumente usado como terapia alternativa com uma rica fonte de ácidos graxos essenciais ômega-3 (ácido linoléico e ácido gama-linolênico). Embora não haja evidências suficientes para apoiar o uso para sintomas somáticos da, a sua eficácia e segurança para a saúde mental foram confirmados em vários estudos. Os efeitos terapêuticos do óleo de prímula podem ser atribuídos aos efeitos diretos do ômega-3 nas células imunológicas e seus efeitos indiretos na síntese de eicosanóides, incluindo prostaglandinas, citocinas e mediadores de citocinas. 


Panax ginseng


O panax ginseng é caracterizado por propriedades anti-inflamatórias. Estudos clínicos randomizados mostraram resultados promissores para a melhora do metabolismo da glicose e sistema imunológico. Possíveis mecanismos de ação do ginseng incluem efeitos hormonais relacionados ao estrogênio com um leve efeito na depressão, transtornos do humor e função sexual. Os principais compostos ativos são os ginsenosídeos, que demonstraram exercer ações semelhantes ao estrogênio. No entanto, os efeitos colaterais não são claros e mais estudos são necessários para avaliar os efeitos no calor e espessura endometrial. 


Foeniculum vulgare


O nome comum desta erva é erva-doce. Caracteriza-se pela presença de ácido palmítico e beta-sitosterol. Apresenta efeitos antiandrogênicos e anti-inflamatórios e sua principal aplicação está mas ondas de calor em mulheres na pós-menopausa. Assim também como pode ajudar a ansiedade em pacientes com depressão. O creme de extrato de erva-doce vaginal mostrou uma melhora da atrofia vaginal e funções sexuais em mulheres na menopausa devido aos seus efeitos estrogênicos. Nenhum efeito colateral crítico foi relatado. 


Suplementos e Menopausa 


Em conclusão, a menopausa é um processo natural na vida das mulheres que pode causar vários sintomas incômodos. Para aliviar esses sintomas e melhorar a qualidade de vida, muitas mulheres recorrem a suplementos alimentares, como a soja/isoflavonas, o trevo vermelho, o cohosh preto e o óleo de prímula. Embora a terapia hormonal ainda seja considerada a primeira linha de tratamento para sintomas vasomotores, muitas mulheres relutam em usar hormônios exógenos e estão se voltando para botânicos e produtos de suplementos dietéticos para alívio dos sintomas. 


Cada suplemento possui seus benefícios específicos, como a redução de lipídios de baixa densidade (LDL) e triglicerídeos, prevenção de osteoporose, melhora na cognição, e alívio de ondas de calor e melhora no humor por meio de um efeito serotoninérgico. No entanto, é importante lembrar que os suplementos devem ser utilizados com cautela e sempre com a orientação de um profissional de saúde, para evitar efeitos colaterais indesejados.


Prática Clínica 


Os profissionais de saúde devem incluir em discussão com seus pacientes todas as abordagens disponíveis para o alívio dos sintomas da menopausa, dando toda a informação para real customização da abordagem das queixas nesta fase crítica da vida da mulher. Nessa perspectiva, os nutracêuticos têm seus pontos fortes por serem ótimos aliados para a manutenção dos sintomas. No entanto, é importante lembrar que os nutracêuticos não são uma solução única para os sintomas da menopausa e devem ser usados em conjunto com outras estratégias de cuidados de saúde, incluindo alimentação saudável, atividade física regular e terapias médicas. 


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas 


FRANCISCIS, Pasquale de; COLACURCI, Nicola; RIEMMA, Gaetano; CONTE, Anna; PITTANA, Erika; GUIDA, Maurizio; SCHIATTARELLA, Antonio. A Nutraceutical Approach to Menopausal Complaints. Medicina, [S.L.], v. 55, n. 9, p. 544, 28 ago. 2019. MDPI AG.


GELLER, Stacie E.; STUDEE, Laura. Botanical and Dietary Supplements for Menopausal Symptoms: what works, what does not. Journal Of Women'S Health, [S.L.], v. 14, n. 7, p. 634-649, set. 2005. Mary Ann Liebert Inc.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page