top of page

Microbiota de Veganos e Onívoros: Há diferenças?

Estudos ​​mostraram que existem diferenças na composição da microbiota entre onívoros, vegetarianos e veganos, visto que, em comparação com as dietas onívoras, as dietas veganas e vegetarianas são geralmente mais ricas em fibras e mais baixas em gorduras saturadas e proteínas. Foi proposto que o consumo de vegetais a longo prazo se correlaciona com a diversidade da microbiota intestinal e uma maior ingestão de fibras aumenta a prevalência de micróbios associados a um intestino saudável.

Especialmente o maior teor de fibras e polifenóis em dietas veganas e vegetarianas parece desempenhar o maior papel na manutenção de um ecossistema mais diversificado de bactérias benéficas. As quais são capazes de metabolizar substratos de carboidratos complexos e polissacarídeos para produzir ácidos graxos de cadeia curta, que são importantes para a regulação do metabolismo, inflamação e doença.



Table of ContentsToggle

Diferenças na Microbiota Intestinal

Vários estudos encontraram níveis reduzidos de patobiontes, como Enterobacteriaceae, que estão associados à indução de inflamação de baixo grau, na microbiota intestinal vegana. Em função do aumento da quantidade de fibra encontrada em dietas veganas, ocorre de forma espontânea um aumento no número de bactérias que degradam estas, principalmente Bifidobacterium, Prevotella, Bacteroides e Clostridium.

Em oposição, bactérias que foram significativamente menores na população vegana incluíram Streptococcus, Staphylococcus e Corynebacteria, Lachnoclostridium e Dialister invisus e bactérias de baixo ácido lático, incluindo Lactobacillus e Lactococcus. Além disso, outras populações reportadas significativamente maiores em veganos foram Roseburia e Verrucomicrobiota. 

Prática Clínica

Cumpre ressaltar que os estudos sobre a microbiota humana ainda não apresentam grandes entendimentos definidos. Tal se dá principalmente por desafios como a microbiota é um ambiente em constante mudança, afetado por muitos fatores diferentes e em diferentes graus, a falta de um método padronizado para amostragem fecal e análise da microbiota. Contribuindo para resultados pouco relevantes e com grande heterogeneidade. Portanto, a falta de evidências impossibilita recomendações específicas para uma abordagem clínica. 

Referências Bibliográficas

LOSNO, Emily A.; SIEFERLE, Katharina; PEREZ-CUETO, Federico J. Armando; RITZ, Christian. Vegan Diet and the Gut Microbiota Composition in Healthy Adults. Nutrients, [S.L.], v. 13, n. 7, p. 2402, 13 jul. 2021. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu13072402.

Classifique esse post

18 visualizações

コメント


bottom of page