top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Mudanças Hormonais e Reflexos no Emagrecimento

Em diversos esportes competitivos, o percentual de gordura baixo pode ser vantajoso, tanto em esportes que visam estética, quanto naqueles que visam performance. Sendo assim, diversas estratégias para induzir a perda de gordura são feitas por atletas, porém a restrição calórica excessiva e o baixo percentual de gordura ocasionam em mudanças hormonais que podem ser impeditivos no emagrecimento a longo prazo.



Table of ContentsToggle

Hormônios da Tireoide no Emagrecimento

Os hormônios da tireoide, em específico o T3, fazem a função de regular a taxa metabólica. A relação entre os hormônios tireoidianos e a taxa metabólica é diretamente proporcional, ou seja, quando há uma menor concentração dos hormônios da tireoide, a taxa metabólica diminui. Além disso, os hormônios tireoidianos em menores quantidades estão correlacionados a uma menor termogênese.

Leptina e Grelina no Emagrecimento

A leptina é um hormônio sintetizado pelo tecido adiposo e serve como indicador de disponibilidade energética, ou seja, níveis baixos de gordura corporal estão relacionados a baixos níveis de leptina circulante. Além disso, concentrações de leptina alta são associadas a um aumento no gasto energético e saciedade.

Por outro, a grelina funciona como um estimulador do apetite e da ingestão energética, e se mostrando aumentada em períodos de jejum e diminuída no período de ingestão de alimentos.

Insulina no Emagrecimento

A insulina está relacionada com diversas vias anabólicas no nosso corpo, ela desempenha funções como; inibir a proteólise muscular e regulação do metabolismo dos macronutrientes. Porém, a mesma pode auxiliar na sinalização de adiposidade, altos níveis de insulina podem indicar maior disponibilidade de energia e efeito anorexígeno (maior saciedade).

Testosterona no Emagrecimento

A testosterona é conhecida como um hormônio que induz o aumento da síntese proteica e massa muscular. Ademais, a correlação entre o conteúdo de gordura corporal e os níveis de testosterona foram inversamente proporcionais e com isso foi sugerido que a mesma era capaz de reprimir a lipogênese. Contudo, é necessário mais evidências para ter real compreensão dos mecanismos da testosterona que afetam a adiposidade.

Cortisol no Emagrecimento

O cortisol, é um glicocorticóide liberado em situações de estresse, como a restrição calórica. Esse hormônio está relacionado a reações catabólicas como a proteólise muscular. Além disso, o cortisol pode inibir a ação da leptina, diminuindo a saciedade do indivíduo.

Prática Clínica

Em resumo, a resposta endócrina mediante a restrição calórica severa promove aumentos no cortisol e grelina, além de diminuição de testosterona, insulina, leptina e hormônios da tireoide. Essas mudanças citadas induzem o aumento da fome, redução da taxa metabólica basal e no conteúdo de massa magra.

Com isso, é de extrema importância, a abordagem do nutricionista nessa situação para realizar o processo de perda de peso da melhor forma possível, atenuando os problemas citados acima.

Referências Bibliográficas

TREXLER, Eric T; SMITH-RYAN, Abbie e; NORTON, Layne e. Metabolic adaptation to weight loss: implications for the athlete. Journal Of The International Society Of Sports Nutrition, [S.L.], v. 11, n. 1, 15 ago. 2014. Http://dx.doi.org/10.1186/1550-2783-11-7.

Classifique esse post

4 visualizações

Comments


bottom of page