top of page
  • Foto do escritorThiago Cabral

Novos Medicamentos na Luta Contra a Obesidade: Rumo a um Futuro Sem Cirurgias

As recentes décadas testemunharam uma revolução na compreensão e no tratamento da obesidade. A cirurgia bariátrica, uma vez vista como a única solução viável para obesidade grave, está cada vez mais sendo desafiada por novas drogas baseadas na fisiologia e nas respostas hormonais que a própria cirurgia provoca. O mais recente desses medicamentos, ainda num estudo de fase 2, Retratrutide, promete perdas de peso comparáveis à cirurgia, levantando questões pertinentes sobre o futuro da bariátrica e, mais importante, da obesidade.



Table of Contents


Novos Aliados na Batalha Contra a Obesidade


Publicado no New England Journal of Medicine, o estudo “Triple–Hormone-Receptor Agonist Retratrutide for Obesity — A Phase 2 Trial” destaca os resultados promissores de Retratrutide.  O medicamento, um análogo subcutâneo de três hormônios intestinais – GLP-1, GIP e Glucagon, mostrou-se eficaz em promover perda substancial de peso. Em 48 semanas, os pacientes que usaram a dose máxima de 12mg experimentaram, em média, uma perda de 24% do peso inicial, com mulheres perdendo até 28.5%. 


Além disso, 100% dos participantes perderam pelo menos 5% do peso, e 23% alcançaram uma impressionante redução de cerca de 30%. Entre os pacientes com histórico de Esteatose Hepática, o medicamento também promoveu a remissão da doença.


Transformações Sem Precedentes na História da Obesidade


Esses avanços farmacológicos são verdadeiramente notáveis. A Anvisa recentemente sinalizou sua aprovação para o uso de semaglutida, um medicamento previamente aprovado para o tratamento do diabetes e comercializado sob as marcas Ozempic e Rybelsus, agora sendo indicado para o tratamento da obesidade. Utilizado em doses mais elevadas de até 2,4mg semanais, esse fármaco já demonstrou uma eficácia significativa na redução do peso corporal.


Além disso, o cenário de tratamento da obesidade está prestes a passar por transformações ainda mais profundas, com a iminente chegada de novas medicações como a Tirzepatida e a CagriSema. Estas prometem revolucionar ainda mais a abordagem terapêutica à obesidade.


O que está por vir na Luta Contra a Obesidade?


Este é apenas o começo de uma revolução promissora no tratamento da obesidade. O futuro parece brilhante, pois existem aproximadamente 20 novos medicamentos em diferentes fases de estudos clínicos, programados para serem lançados nos próximos cinco anos. 


Essas drogas têm o potencial de expandir ainda mais as fronteiras do tratamento eficaz da obesidade, marcando uma nova era na medicina. No entanto, a questão que se coloca não é apenas se esses novos medicamentos podem substituir a cirurgia bariátrica, mas se eles podem realmente representar o fim da obesidade.


Dentre as classes de drogas promissoras, destacam-se a Mazdutida, cotadutida, pemvidutida e efinopegdutida, que são coagonistas de GLP-1 e Glucagon. Essas drogas atuam em sinergia para reduzir o apetite, aumentar a saciedade e melhorar o metabolismo energético, resultando em perda de peso significativa.


O AMG-133 é um coagonista de GLP-1 e GIP, que estimula a produção de insulina e reduz a produção de glicose pelo fígado, auxiliando no controle do açúcar no sangue e na regulação do apetite. A Amicretina, por sua vez, é um coagonista de GLP-1 e Amilina, que atua na redução da ingestão de alimentos, melhora da sensibilidade à insulina e retardo do esvaziamento gástrico. Há também a droga QL1005, um coagonista de GLP-1 e GDF-15, ainda sem nome comercial definido, que apresenta ação sobre o apetite e o metabolismo, podendo contribuir para a perda de peso.


Essas classes de drogas inovadoras têm o potencial de trazer efeitos positivos e benefícios significativos no tratamento da obesidade, ajudando os indivíduos a alcançarem uma perda de peso sustentável, melhorando a saúde metabólica e reduzindo os riscos associados à obesidade, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e esteatose hepática.


Embora esses avanços farmacológicos sejam empolgantes, é importante destacar que o tratamento da obesidade requer uma abordagem multidisciplinar, combinando medicamentos, mudanças no estilo de vida, como uma dieta saudável e atividade física regular, além de apoio psicológico. A busca por soluções efetivas para a obesidade é um processo contínuo, e o futuro nos reserva uma gama de possibilidades promissoras para ajudar as pessoas a alcançarem uma vida mais saudável e equilibrada.


Uma Abordagem Interdisciplinar para o Tratamento da Obesidade


Os medicamentos podem proporcionar uma solução mais equitativa para aqueles que lutam para perder peso, mas apenas se forem aplicados dentro de um modelo de tratamento interdisciplinar. Neste sentido, é essencial destacar a importância da alimentação adequada, da mudança de hábitos e da atividade física como os principais pilares de qualquer tratamento para a obesidade. A terapia psicológica também pode ser uma parte valiosa do processo. Os medicamentos, por mais promissores que sejam, são apenas uma ferramenta adicional no arsenal contra a obesidade.


O desafio que enfrentamos é duplo: por um lado, há o custo desses novos medicamentos, que atualmente são proibitivos para a grande maioria da população, limitando o acesso a esses tratamentos revolucionários. No entanto, é igualmente crucial priorizarmos estratégias que se concentrem na manutenção da perda de peso a longo prazo. Ou seja, é imprescindível desenvolvermos abordagens que promovam a sustentabilidade da perda de peso, assegurando que os benefícios obtidos com esses tratamentos sejam duradouros. 


Conforme a guerra contra a obesidade continua, somos encorajados por esses novos medicamentos e continuamos esperançosos de que podemos encontrar soluções que são acessíveis, sustentáveis e eficazes no longo prazo. O fim da obesidade pode ainda estar distante, mas estamos certamente dando passos na direção certa.


Continue estudando…




Assista ao vídeo na plataforma da Science Play com Dr. Thiago Cabral: Semaglutida (Wegovy e Ozempic): O que você precisa saber? 


Referências Bibliográficas


Adams TD, et al. Health benefits of gastric bypass surgery after 6 years. JAMA. 2012 Sep 19;308(11):1122-31. doi: 10.1001/2012.jama.11164. PMID: 22990271; PMCID: PMC3744888.

Jastreboff AM, et al; Retatrutide Phase 2 Obesity Trial Investigators. Triple-Hormone-Receptor Agonist Retatrutide for Obesity – A Phase 2 Trial. N Engl J Med. 2023 Jun 26. doi: 10.1056/NEJMoa2301972. Epub ahead of print. PMID: 37366315.

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page