top of page

O papel da nutrição esportiva no desafio da gestação saudável

Uma gestação saudável representa um desafio, especialmente para uma paciente esportista, onde a nutrição esportiva desempenha um papel imprescindível. A prática de atividade física durante a gestação é segura e toda gestante sem contraindicações deve realizar 150 minutos semanais de exercícios aeróbicos e treinamento resistido, pois traz benefícios tanto para o bebê quanto para a mãe.


No entanto, é importante estarmos atentos a algumas considerações: a gestante deve estar passando por uma gestação sem intercorrências (ou seja, uma gestação saudável), já ter tido pelo menos um filho anteriormente (pois isso fornece alguma experiência sobre a gestação, especialmente se a primeira foi bem-sucedida), ter acesso a uma rede de apoio profissional, não sentir dor ou desconforto durante o exercício e adaptar os exercícios conforme necessário para a gestante. É importante ressaltar que não há um período determinado para a interrupção da prática de exercícios durante a gestação. A única necessidade é uma orientação quanto aos sinais de trabalho de parto, perda de líquido amniótico, contrações uterinas ou sangramento vaginal.


Apesar do reconhecimento dos benefícios associados à prática de atividade física durante a gestação, apenas 15% das gestantes atingem a recomendação mínima de 150 minutos de atividade física por semana. Esse baixo índice pode ser atribuído, em parte, à persistência de uma falsa crença na população sobre uma suposta associação entre a prática de atividade física durante a gestação e ocorrências adversas, como abortos espontâneos, restrição de crescimento fetal, lesões ou parto prematuro.





Benefícios da Atividade Física Durante a Gestação


A prática regular de atividade física durante a gravidez tem sido associada a uma série de benefícios. Para a mãe, estes incluem a redução do risco de diabetes mellitus gestacional, pré-eclâmpsia e hipertensão gestacional. Além disso, a atividade física pode ajudar na prevenção da depressão pós-parto, reduzir e prevenir lombalgias, fortalecer a musculatura pélvica e diminuir a incidência de partos cesáreos, favorecendo um maior número de partos vaginais. Outros benefícios englobam a redução do ganho de peso excessivo durante a gestação e um tempo de recuperação pós-parto mais rápido.


Por outro lado, a prática regular de atividade física durante a gravidez traz alguns benefícios para o feto: a maior probabilidade de peso adequado ao nascer, redução dos fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas, incluindo doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes. Além disso, a atividade física durante a gestação melhora o metabolismo, contribui para um melhor desempenho cognitivo e acadêmico da criança no futuro e aumenta a propensão de ser uma pessoa fisicamente ativa quando adulta.


Precauções


Durante a gravidez, é recomendado evitar atividades físicas em condições de calor excessivo, especialmente em ambientes com alta umidade. Além disso, deve-se evitar exercícios que envolvam contato físico ou representem risco de queda, assim como o mergulho. É importante também evitar prender a respiração, conhecido como a Manobra de Valsalva, e a posição supina, onde a mulher fica deitada de costas com carga, pois isso pode reduzir a circulação placentária. No entanto, atletas de elite podem continuar treinando durante a gravidez, desde que sob supervisão adequada.


Contra-Indicações para Prática de Atividade Física Moderada


Existem várias condições médicas que representam contra-indicações absolutas para a prática de atividade física moderada durante a gestação. Estas incluem, mas não se limitam a: ruptura das membranas, trabalho de parto prematuro, sangramento vaginal persistente inexplicável, placenta prévia após 28 semanas de gestação, pré-eclâmpsia, colo do útero incompetente, restrição de crescimento intrauterino, gravidez múltipla de alta ordem (por exemplo, trigêmeos), diabetes tipo 1 não controlado e distúrbios cardiovasculares, respiratórios ou sistêmicos graves. É importante que gestantes com qualquer uma dessas condições consultem um profissional de saúde antes de iniciar qualquer programa de exercícios durante a gravidez.


Recomendações Nutricionais de Exercício Leve a Moderada


Durante a gestação, as recomendações nutricionais para a ingestão de carboidratos são de 175g por dia ou entre 4 a 6g por quilo de peso corporal. É importante evitar realizar atividade física em jejum ou após mais de 3 horas sem comer. Para treinos com duração superior a 1 hora, é necessário consumir uma quantidade adicional de carboidratos. Após o treino, é recomendado consumir uma combinação de carboidratos e proteínas. Em relação à proteína, a recomendação é de 1,1g por quilo de peso corporal ou mais, com aumento gradual ao longo dos trimestres da gestação. Além disso, é recomendado um consumo diário de 27mg de ferro, 1000mg de cálcio e 220mcg de iodo. Estas diretrizes nutricionais são importantes para garantir uma gestação saudável e o bem-estar materno e fetal.


Recomendações para DMG ou DM1


Para gestantes com diabetes gestacional (DMG) ou diabetes tipo 1 (DM1), é importante iniciar o treino somente quando a glicemia estiver entre 100 e 200mg/dl. Se a glicemia estiver abaixo de 100mg/dl, recomenda-se o consumo de 15 a 30g de carboidratos de rápida absorção antes do exercício e monitoramento subsequente. Exercícios são contraindicados se a glicemia estiver acima de 250mg/dl, sendo fundamental monitorar a glicemia antes e após o exercício físico.


Creatina e Gestação


A aplicação de creatina durante a gravidez é considerada importante para promover o desenvolvimento neural do feto e reduzir complicações resultantes da asfixia ao nascimento. Além disso, a creatina pode aumentar o conteúdo de creatina no cérebro do bebê, bem como a reserva energética da placenta e do miométrio. Durante a gestação, ocorre uma redução nas reservas de creatina, o que tem sido associado ao baixo peso ao nascer e ao parto prematuro. Portanto, a suplementação de creatina pode ser vista como uma estratégia segura e de baixo custo para reduzir as complicações associadas à depleção de energia celular durante a gravidez.


Quando a Mulher Pode Retomar a Prática de Atividade Física Após o Parto?

O momento para retomar a atividade física depende do estado clínico da mulher e do tipo de parto. Em casos de parto vaginal, geralmente é seguro retornar na segunda semana pós-parto. Para partos cirúrgicos, como a cesariana, é recomendado aguardar até a sexta semana e retornar gradualmente, sempre avaliando a aptidão da mulher para o retorno.


O Exercício Físico Pode Afetar a Composição e a Produção de Leite Materno?

O exercício físico moderado geralmente não afeta significativamente a produção ou composição do leite materno a ponto de impactar o crescimento infantil. Estudos mostraram que mulheres que se exercitam regularmente tendem a ter uma produção de leite similar ou até mesmo maior do que aquelas que são sedentárias.


Prática Clínica

É importante disseminar essa informação entre as gestantes, enfatizando que a prática de exercícios físicos durante a gravidez não representa risco para o feto ou para a mãe. Pelo contrário, pode proporcionar benefícios metabólicos valiosos para o bebê em desenvolvimento, impactando positivamente sua saúde e reduzindo o risco de doenças ao longo da vida. 


Referências

Blaize, A. N., Pearson, K. J., & Newcomer, S. C. (2015). Impact of Maternal Exercise during Pregnancy on Offspring Chronic Disease Susceptibility. Exercise and sport sciences reviews, 43(4), 198–203. https://doi.org/10.1249/JES.0000000000000058


Clapp J. F., 3rd (1996). Morphometric and neurodevelopmental outcome at age five years of the offspring of women who continued to exercise regularly throughout pregnancy. The Journal of pediatrics, 129(6), 856–863. https://doi.org/10.1016/s0022-3476(96)70029-x


Esteban-Cornejo, I., Martinez-Gomez, D., Tejero-González, C. M., Izquierdo-Gomez, R., Carbonell-Baeza, A., Castro-Piñero, J., Sallis, J. F., Veiga, O. L., & UP & DOWN Study Group (2016). Maternal physical activity before and during the prenatal period and the offspring's academic performance in youth. The UP&DOWN study. The journal of maternal-fetal & neonatal medicine : the official journal of the European Association of Perinatal Medicine, the Federation of Asia and Oceania Perinatal Societies, the International Society of Perinatal Obstetricians, 29(9), 1414–1420. https://doi.org/10.3109/14767058.2015.1049525


Eclarinal, J. D., Zhu, S., Baker, M. S., Piyarathna, D. B., Coarfa, C., Fiorotto, M. L., & Waterland, R. A. (2016). Maternal exercise during pregnancy promotes physical activity in adult offspring. FASEB journal : official publication of the Federation of American Societies for Experimental Biology, 30(7), 2541–2548. https://doi.org/10.1096/fj.201500018R


Comments


bottom of page