top of page

O Papel dos Simbióticos na Modulação da Microbiota Intestinal para o Tratamento da Obesidade

Fornecer simbióticos à microbiota intestinal (suplementos probióticos contendo componentes prebióticos) representa uma intervenção promissora na abordagem nutricional para reduzir a obesidade. Embora a perda de peso decorrente de dietas com baixo teor de carboidratos e alto teor de proteínas possa ser significativa, isso está associado a potenciais efeitos adversos devido ao aumento da fermentação bacteriana de proteínas não digeridas no cólon e às mudanças subsequentes na composição da microbiota intestinal.

 

Assim, corrigir a disbiose da microbiota intestinal causada pela obesidade com simbióticos pode ser mais eficaz do que a suplementação apenas com probióticos, uma vez que os componentes prebióticos dos simbióticos favorecem o crescimento e a sobrevivência de bactérias benéficas.

 

Considerações Sobre a Microbiota Intestinal na Obesidade

 

A microbiota intestinal representa um alvo promissor na abordagem dietética abrangente para a prevenção e tratamento da obesidade, incluindo a perda e a manutenção de peso. No entanto, dietas ricas em proteínas e pobres em carboidratos, embora eficazes para perda de peso, estão associadas à diminuição de bactérias consideradas benéficas à saúde. Essas dietas induzem a fermentação de proteínas pela microbiota intestinal, gerando subprodutos metabólicos que podem desencadear inflamação no cólon e aumentar a genotoxicidade, potencialmente associada a cânceres intestinais.

 

Intervenção com Simbióticos na Saúde Intestinal

 

A intervenção dietética com probióticos, prebióticos ou simbióticos destinada a corrigir a perturbação da microbiota intestinal observada na obesidade ou após dietas desequilibradas pode proporcionar benefícios à saúde, facilitando a perda e manutenção de peso. Além disso, a dieta pobre em carboidratos e rica em proteínas, quando combinada com restrição calórica, é eficaz para a perda de peso e normalização de parâmetros metabólicos relacionados à obesidade. Contudo, o impacto do suplemento simbiótico na massa corporal e na composição corporal de indivíduos que buscam a perda de peso é significativo.

 

Alterações na Composição da Microbiota Intestinal

 

Em relação à microbiota intestinal, os filos bacterianos Firmicutes e Bacteroidetes são os mais abundantes. Nesse contexto, o Bacteroides é predominante em pacientes que seguem uma dieta rica em proteínas e pobre em carboidratos, com o uso de simbióticos para emagrecimento.

 

Prática Clínica

 

Os simbióticos Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium lactis, Bifidobacterium longum e Bifidobacterium bifidum são reconhecidos por seus potenciais benefícios no tratamento de distúrbios gastrointestinais e no suporte à saúde intestinal. Estes microorganismos têm sido associados a melhorias na composição da microbiota intestinal, contribuindo para o equilíbrio e a saúde do trato gastrointestinal.

 

Após intervenção com simbióticos, observa-se uma alteração na abundância relativa de diversos filos bacterianos. Entre eles, destacam-se o aumento de Cyanobacteria, Euryarchaeota, Fusobacteria e Lentisphaerae, indicando uma resposta positiva à suplementação e sua influência na diversidade microbiana do intestino.

 

Continue Estudando...

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

SERGEEV, Igor N.; ALJUTAILY, Thamer; WALTON, Gemma; HUARTE, Eduardo.Effects of Synbiotic Supplement on Human Gut Microbiota, Body Composition and Weight Loss in ObesityNutrients, [S.L.], v. 12, n. 1, p. 222, 15 jan. 2020. MDPI AG.

Comments


bottom of page