top of page

O que remover na fase de remoção?


Antes de começar de fato este texto, já deixo um aviso para você: quando visamos preparar o sistema gastrointestinal para o protocolo 5R, que consiste em 5 fases com o objetivo de melhorar a saúde intestinal do paciente, na primeira fase, a fase de remoção, precisamos remover alguns componentes chave para que os efeitos sejam potencializados.


Porém, não são todos os componentes que precisam ser removidos do paciente. Depende muito da individualidade de cada um, sendo que você pode avaliar segundo sinais e sintomas, ou por testes como o teste de hipersensibilidade alimentar e o teste de microbioma intestinal.


Mais precisamente, precisamos diminuir o consumo do paciente de gordura saturada, açúcar, proteína animal, aditivos alimentares, sal, café e álcool. No que se refere aos aditivos, alguns dos que mais comumente necessitam de remoção, são:

  • Carboximetilcelulose e P-80;

  • Dióxido de titânio;

  • Sucralose, sacarina, aspartame e acessulfame-k.


Agora quando o assunto é a diminuição do consumo do sal, é importante para que haja a menor probabilidade a resposta autoimune, a hipertensão e a diminuição da produção de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), nos quais são importantes não apenas para a saúde intestinal, mas para a saúde metabólica como um todo.


No caso da gordura saturada e trans, pode acarretar maior quantidade de ácidos biliares no intestino, o que pode favorecer a disbiose. Uma das repercussões é a disbiose intestinal devido ao estímulo que os ácidos biliares podem induzir a população de bactérias pró-inflamatórias, de forma a que haja o aumento do estresse oxidativo e da permeabilidade intestinal.


Para encerrar, outro ponto a ser discutido com o paciente é o consumo exacerbado da carne vermelha, no qual é um dos fatores que pode estar relacionado ao aparecimento do câncer de cólon em um indivíduo predisposto. Assim, pode ser interessante que haja a redução do consumo para 1-2 porções/semana, priorizando-se como fonte de proteína, frango, ovos, peixes e alimentos fonte de proteína vegetal. Já o café, o consumo de até 2-3 xícaras ao dia é o recomendado por diversas instituições internacionais, mas se o paciente for muito sintomático ao café, sua remoção é importante.


Referências bibliográficas

Myles IA. Fast food fever: reviewing the impacts of the Western diet on immunity. Nutr J. 2014 Jun 17;13:61. doi: 10.1186/1475-2891-13-61.


Partridge D, Lloyd KA, Rhodes JM, Walker AW, Johnstone AM, Campbell BJ. Food additives: Assessing the impact of exposure to permitted emulsifiers on bowel and metabolic health - introducing the FADiets study. Nutr Bull. 2019 Dec;44(4):329-349. doi: 10.1111/nbu.12408

17 visualizações

Commentaires


bottom of page