top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Obesidade



Table of ContentsToggle

O que é?

Segundo a OMS, no ano de 2022 mais de 1 bilhão de pessoas no mundo encontravam-se em estado de obesidade. Tal patologia, é caracterizada a partir do IMC subdividindo-se em três categorias; obesidade grau I (30 a 34,9kg/m2); obesidade grau II (35 a 39,9kg/m2) e obesidade grau III ≥ 40 (kg/m2).

Como ocorre a obesidade?

Um dos mecanismos de desenvolvimento da obesidade é o balanço energético positivo por um período de tempo prolongado, o que gera a produção e acúmulo de gordura nos adipócitos. O estado de hipernutrição leva a resistência à ação da insulina, redução da oxidação de glicose e se combinado a redução do gasto energético, favorece ainda mais o ambiente obesogênico.

Como funciona a obesidade?

A obesidade é uma Doença Crônica não Transmissível (DCNT) de origem multifatorial expressa pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo. É resultante da interação entre estilo de vida, fatores genéticos, ambientais e metabólicos, cujo tratamento é complexo e multiprofissional. Tal excesso de gordura corporal, pode ser localizado na área abdominal que está mais relacionada a complicações metabólicas ou pode estar localizada de forma generalizada por todo o corpo. Nesse sentido, além do IMC isolado, é necessária uma anamnese completa que inclua a antropometria para obtenção dos dados como circunferência da cintura, do quadril e a partir disso a determinação do risco.  

Como tratar?

O tratamento da obesidade é complexo e envolve muitas vias, além do tratamento nutricional tradicional de restrição calórica e exercícios físicos. Quando necessário, o médico pode indicar o tratamento medicamentoso para o paciente, a exemplo do Ozempic e Saxenda, medicamentos liberados pela ANVISA que atuam de forma complementar no tratamento, por promover a redução do apetite, menor absorção de gordura e consequente, perda de peso. Visto que, este quadro geralmente está associado a outras doenças, como diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia, os quais exercem grande influência no declínio da qualidade de vida do paciente. Além disso, as cirurgias bariátricas também podem ser ferramentas auxiliares. 

Referência

Caballero B. (2019). Humans against Obesity: Who Will Win?. Advances in nutrition (Bethesda, Md.), 10(suppl_1), S4–S9. https://doi.org/10.1093/advances/nmy055

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page