top of page

Qual a relação entre puberdade precoce e obesidade?

A prevalência da puberdade precoce central em meninas aumentou em todo o mundo e está frequentemente associada à obesidade na infância, bem como a dietas com alto teor de gordura e alto índice glicêmico. As evidências sugerem que indivíduos com obesidade apresentam alterações nos hormônios reguladores do apetite. A puberdade precoce central é caracterizada pela ativação do eixo hipotálamo-hipófise-gônadas e pelo subsequente aumento nas concentrações de esteroides sexuais antes dos 8 anos de idade em meninas. 



Table of Contents



Puberdade Precoce e Obesidade


Evidências recentes indicam uma tendência para o início mais precoce da puberdade, especialmente em meninas. Simultaneamente, a prevalência da obesidade na infância disparou nas últimas décadas, afetando milhões de crianças em todo o mundo. O hipotálamo, um ator-chave na regulação do equilíbrio energético, interage com várias hormônios relacionados ao apetite, como a leptina, grelina e o peptídeo 1 semelhante ao glucagon (GLP-1), afetando a ingestão de alimentos e o gasto de energia. Dietas ricas em calorias e gorduras são frequentemente associadas ao desenvolvimento da obesidade infantil.


O que é intrigante é o aumento paralelo da obesidade infantil e da puberdade precoce, especialmente em meninas. No entanto, o mecanismo exato subjacente a essa associação ainda não está claro. Notavelmente, o consumo de dietas ricas em gorduras parece se correlacionar positivamente com a puberdade precoce, independentemente da obesidade.


Puberdade Precoce na Literatura


Evidências científicas indicam que hormônios que regulam o apetite podem afetar o sistema reprodutivo de várias maneiras. Esses hormônios atuam principalmente no núcleo arqueado e no núcleo ventromedial do hipotálamo para regular a ingestão de alimentos. É interessante observar que o núcleo arqueado é também o local dos neurônios GnRH, cuja ativação precoce resulta na puberdade precoce. Essa proximidade suscita a questão de se a puberdade precoce está ligada a distúrbios nos hormônios relacionados ao apetite.


Estudos sugerem que meninas com puberdade precoce podem apresentar alterações nos hormônios reguladores do apetite. Os estudos variam em termos das características clínicas estudadas, e ainda não está claro se essas alterações hormonais precedem ou seguem a puberdade. Além disso, os potenciais efeitos das alterações nos hormônios reguladores do apetite em meninos com puberdade precoce permanecem inexplorados.


Uma hipótese sugere que a obesidade e a puberdade compartilham vias metabólicas comuns que levam a alterações hormonais. Outra hipótese sugere um mecanismo separado, ainda desconhecido, afetando tanto os neurônios GnRH, quanto os centros de apetite no hipotálamo, causando alterações hormonais. Pesquisas adicionais são necessárias para desvendar a fisiopatologia dos distúrbios relacionados ao apetite em meninas com menarca adiantada.


Compreender essa conexão é crucial, pois se trata de uma condição de importância médica significativa e em constante aumento. A interação entre puberdade precoce, obesidade e hormônios reguladores do apetite é um quebra-cabeça complexo que requer mais investigação. 


Hormônios do Apetite na Puberdade Precoce


As evidências indicam que as concentrações de leptina estão elevadas em meninas com puberdade precoce em comparação com meninas normais, enquanto as concentrações de grelina são mais baixas. Além disso, nesfatin-1 e orexina-A estão aumentadas em meninas, e as concentrações de insulina são mais altas em meninas com menarca precoce. A causa dessas alterações nos hormônios relacionados ao apetite não está clara, assim como a fisiopatologia em si. No entanto, existem evidências de que hormônios reguladores do apetite estão envolvidos no sistema reprodutivo, promovendo a ativação do eixo gonadotrópico. 


Prática Clínica 


A identificação precoce de alterações nos hormônios reguladores do apetite em meninas com puberdade precoce central desempenha um papel crucial. O monitoramento de marcadores como a leptina, ghrelina, nesfatina-1 e orexina-A pode ser fundamental. Esses biomarcadores fornecem informações valiosas sobre o estado do sistema reprodutivo e o equilíbrio hormonal das pacientes.


Além disso, compreender a influência dos hormônios reguladores do apetite na ativação do eixo gonadotrópico pode ajudar os profissionais a adotarem abordagens terapêuticas personalizadas. A detecção precoce e a intervenção direcionada podem melhorar o tratamento, minimizando seus impactos psicossociais e garantindo o desenvolvimento saudável das pacientes. No entanto, é essencial continuar pesquisando e expandindo o conhecimento nessa área para desenvolver diretrizes clínicas mais abrangentes e eficazes.


Referências Bibliográficas





Assista o vídeo na Science Play com Antônio Minuzzi: Obesidade e suas implicações


STATHORI, Galateia; TZOUNAKOU, Anastasia-Maria; MASTORAKOS, George; VLAHOS, Nikolaos F.; CHARMANDARI, Evangelia; VALSAMAKIS, Georgios. Alterations in Appetite-Regulating Hormones in Girls with Central Early or Precocious Puberty. Nutrients, [S.L.], v. 15, n. 19, p. 4306, 9 out. 2023. MDPI AG. 

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page