top of page

Sintomas comuns e diferenciais de sensibilidade e intolerâncias alimentares


A presença de reações adversas após o consumo de alguns alimentos é mais comum do que parece. As sensibilidades e intolerâncias alimentares possuem algumas manifestações clínicas semelhantes. No entanto, os mecanismos que envolvem as manifestações de sintomas são distintos. Diante da semelhança das manifestações clínicas, faz-se necessária uma investigação a fundo, a fim de adotar-se condutas assertivas.


Apesar dos relatos conflitantes, a hipersensibilidade mediada por IgG tem sido associada a uma ampla gama de sintomatologia específica e inespecífica. Tem sido implicado em sintomas associados à alergia, como erupções cutâneas, urticária e asma. Além disso, sintomas gastrointestinais sugestivos de síndrome do intestino irritável, incluindo cólicas abdominais, diarréia e constipação. Assim também como manifestações neurológicas como enxaqueca e sintomas inespecíficos como fadiga e queda de cabelo.


Já as intolerâncias alimentares, especialmente à aditivos, podem apresentar sintomas semelhantes a alergias como: urticária, angioedema, eczema e rinite. Além disso, enxaquecas, psoríase, fadiga, síndrome do intestino irritável, doença inflamatória intestinal, cólicas estomacais, diarréia, náuseas, dor de cabeça e até mesmo respiratórios como broncoconstrição, dispneia tambem podem estar presentes.


É possível notar a presença de sintomas comuns como as manifestações gastrointestinais, caracterizadas pela dor abdominal, cólicas, diarreia, náuseas e vômitos. Assim também como as alterações na pele e dores de cabeça. Portanto, pode haver confusão no diagnóstico se apenas o quadro clínico for levado em consideração.


Um estudo feito com 71 pacientes com idades entre 6 e 80 anos avaliou os anticorpos IgG específicos de alimentos mais freqüentes: Noz de cola em 80,3% dos pacientes, seguido de levedura (de cervejaria) em 78,9%, trigo em 77,5%, feijão vermelho em 71,8%, ervilha em 63,4%, milho em 62,0%, clara de ovo em 62,0%, cevada em 57,7%, pistache em 56,3%, leite de vaca em 56,3% e gliadina em 50,7% dos pacientes.


Enquanto as manifestações clínicas da sensibilidade alimentar são provocadas por reações imunológicas. Os sintomas da intolerância alimentar não envolvem a ação específica de células do sistema imune. Dentre os responsáveis mais comuns pelas intolerâncias alimentares é possível destacar: Lactose, glúten, histamina, aditivos alimentares e FODMAPs.

Referências bibliográficas:

SHAKOOR, Zahid; FAIFI, Abrar Al; AMRO, Bayanx Al; TAWIL, Lama Nabil Al; OHALY, Rana Yazid Al. Prevalence of IgG-mediated food intolerance among patients with allergic symptoms. Annals Of Saudi Medicine, v. 36, n. 6, p. 386-390, nov. 2016. King Faisal Specialist Hospital and Research Centre. http://dx.doi.org/10.5144/0256-4947.2016.386

GARGANO, Domenico; APPANNA, Ramapraba; SANTONICOLA, Antonella; BARTOLOMEIS, Fabio de; STELLATO, Cristiana; CIANFERONI, Antonella; CASOLARO, Vincenzo; IOVINO, Paola. Food Allergy and Intolerance: a narrative review on nutritional concerns. Nutrients, v. 13, n. 5, p. 1638, 13 maio 2021. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu13051638.


46 visualizações

Comments


bottom of page