top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Suplementação de Creatina em Crianças e Adolescentes

A busca por uma vida mais saudável e a prática regular de exercícios físicos têm se tornado bastante presentes na sociedade moderna. Nesse cenário, o mercado de suplementos alimentares está crescendo exponencialmente, o que oferece uma variedade de produtos destinados a melhorar o desempenho atlético e muscular. Um dos mais famosos é a creatina.


Substância naturalmente produzida pelo organismo, a creatina desempenha um papel fundamental na produção de energia durante a prática de atividades de alta intensidade. Os benefícios de sua suplementação em adultos estão relacionados ao aumento da força, da potência e da massa muscular. Mas, será que a criança pode tomar creatina?


A participação de menores de 18 anos em competições esportivas têm levantado questionamentos acerca da segurança e da eficácia da suplementação esportiva da substância nessa faixa etária. Até mesmo profissionais de saúde, a quem cabe a responsabilidade de orientar pais e treinadores sobre o assunto, se questionam a respeito de quais seriam os reais benefícios e riscos associados ao uso de creatina para crianças.


A tomada de decisão, é claro, deve ser baseada em evidências científicas e o intuito deste conteúdo é contribuir com o debate de forma puramente informativa. Leia o artigo para entender como a creatina age no organismo; se criança pode tomar creatina; qual é a dosagem de creatina adequada para adolescentes; quais são os limites da suplementação de creatina; a prática clínica relacionada a esse tema.


Atenção: Este conteúdo é direcionado para profissionais de saúde. Se você é um leigo interessado no assunto, seja pai, treinador ou curioso, jamais conduza um protocolo de suplementação em si mesmo ou em uma criança sem a devida orientação especializada.



Table of Contents


Como a Creatina Age no Organismo


Como foi dito na introdução do texto, a creatina é uma substância naturalmente produzida pelo corpo humano a partir da síntese de determinados aminoácidos. Ela é armazenada no organismo, especialmente nos tecidos musculares esqueléticos, funcionando como uma reserva de energia rápida e disponível para os músculos — daí vem o seu papel em atividades de alta intensidade, agindo para regenerar a molécula adenosina trifosfato, responsável pelo fornecimento imediato de energia.


Quando é suplementada, a creatina é absorvida pelo trato gastrointestinal e, por meio da corrente sanguínea, é transportada para os músculos, com o objetivo de aumentar essa reserva e ajudar a prolongar o desempenho máximo durante a prática esportiva.


Além disso, a creatina exerce efeitos anabólicos no organismo, aumentando a síntese proteica nos músculos, promovendo a retenção de água nas células e melhorando a hidratação dos tecidos musculares. Esses efeitos também resultam em ganhos de força, aumento de massa muscular e melhoria da performance atlética em atividades de alta intensidade.


Criança Pode Tomar Creatina?


Tendo em vista todos os efeitos benéficos citados, é grande o interesse de pais, treinadores e profissionais de saúde a respeito da questão se criança pode tomar creatina. Para falar sobre o assunto, usamos como base o artigo científico Creatine Supplementation in Children and Adolescents, de Andrew R. Jagim e Chad M. Kerksick, publicado no ano de 2021.


O estudo considerou como crianças os indivíduos entre 0 e 12 anos de idade e concluiu que na população pediátrica existem fortes evidências de que a suplementação de creatina proporciona diversos benefícios terapêuticos. O principal deles é o auxílio no tratamento de distúrbios neuromusculares e desbalanços metabólicos.


Existem alguns distúrbios de metabolismo da creatina, como as deficiências de guanidinoacetato metiltransferase e de arginina:glicina amidinotransferase, que são apontadas como responsáveis por falhas na síntese da creatina cerebral.


De acordo com a pesquisa, em 1996 um paciente pediátrico com uma das deficiências apresentadas foi tratado por sua equipe médica com base na terapia de reposição de creatina durante um período de 25 meses. Como resultado, foi notada uma melhora clínica substancial a partir da percepção via ressonância magnética da normalização das atividades cerebrais e melhoria nas leituras de encefalograma.


Qual é a Dosagem de Creatina Adequada para Adolescentes?


E adolescente, pode tomar creatina? Todos os estudos realizados até o momento em pessoas dessa faixa etária com o objetivo de examinar os efeitos da suplementação são em atletas de natação e futebol. Três deles são desenvolvidos a partir de doses diárias de 21g durante 9 dias, 20g durante 5 dias e mais 20g durante 4 dias.


Outros dois estudos aplicaram o método de carga e manutenção, que consiste em 5 dias com suplementação diária de 20g, seguidos por 20 dias com suplementação de 5g diários. Depois, 4 dias de 25g diários e finalmente 5g por dia durante 2 meses. Na maioria dos estudos foi possível observar melhora no desempenho em quase todos os aspectos analisados durante os primeiros dias de suplementação. Durante o período de manutenção não se notou diferença.


É importante ressaltar, no entanto, que os estudos na área ainda são escassos e ainda são necessárias investigações mais profundas sobre a efetividade da suplementação de creatina nessa população.


Limites da Suplementação Segura de Creatina


De acordo com os estudos, a suplementação de creatina a curto ou longo prazo, desde que respeitando os limites de até 30g por dia durante 5 anos seguidos, não leva a nenhum efeito prejudicial em indivíduos saudáveis.


Portanto, o método mais rápido de aumentar os estoques de creatina muscular é seguir a seguinte recomendação: consumir 0,3g por quilo por dia durante 5 a 7 dias; após esse prazo, consumir de 3 a 5g por dia para manter o estoque elevado. Caso a ingestão seja menor, entre 3 e 5g por dia, os estoques serão mantidos apenas por um período de 3 a 4 semanas.


Prática Clínica

Apesar de não ser muito estudada, a suplementação de creatina em crianças e adolescentes se mostrou efetiva tanto na performance quanto no tratamento de distúrbios neuromusculares e metabólicos. Sendo assim, a creatina monohidratada suplementada a curto ou longo prazo (até 30g/dia por 5 anos) não leva a nenhum efeito prejudicial em indivíduos saudáveis, sejam eles crianças ou adultos. No entanto, vale ressaltar que, pela falta de estudos nessa população, são necessárias mais pesquisas, a fim de se obter informações mais concretas.


Continue Estudando...

Sugestão de estudo: Creatina



Assista a palestra de Carol Romeiro na plataforma Science Play: Microbiota Intestinal na Infância e Adolescência 


Referências Bibliográficas


JAGIM, Andrew R.; KERKSICK, Chad M.. Creatine Supplementation in Children and Adolescents. Nutrients, [S.L.], v. 13, n. 2, p. 664, 18 fev. 2021. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu13020664.

Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.
bottom of page